• Contato
  • | +5411-47659390 Argentina
  • info@albertocanen.com
  •  
  • | Es
  • | En
  • | It
  • | Fr

BILIOES

Capiulo 2: BILIOES

Capiulo 2: BILIOES Livro O Genesis, o Observador

Primeiro, vamos refletir sobre os "nunca bem ponderados" sete dias.
Claro que os sete dias bíblicos deveriam ter uma qualquer explicação, pensei eu, e dediquei-me a descobri-lo.
A primeira coisa que me ocorreu foi que, se Deus é infinito, um dia de Deus poderá durar um bilião de anos, logo, sete dias para Deus poderiam muito bem ser seis biliões de anos. E poderiam perguntar, porquê seis biliões de anos? Bem, porque foi estimado que desde a nebulosa inicial até ao presente seis biliões de anos passaram, e quarto biliões e seiscentos milhões de anos desde a formação da Terra.
Embora o Ocidente não tenha lidado com números tão elevados - e quando digo elevados quero dizer números tão altos quanto biliões de anos - nas suas mitologias, talvez seja interessante notar que na Índia, pela altura em que foi escrito o Génesis, já estavam acostumados a pensar em números desta magnitude.
Por exemplo: de acordo com as escrituras Védicas as quarto yugas (eras) formam um ciclo de 4.320.000 anos (Majá-yuga ou a 'grande era'), que se repetem continuamente. A primeira é a Satya-yuga ou 'era da Verdade' de 1.728.000 anos em que a esperança media de vida de uma pessoa era de 100,000 anos. É a Idade do Ouro, de acordo com uma outra classificação.
Depois segue-se a Dvapara-yuga ou 'segunda era' que cobre 1.296.000 anos com uma esperança media de vida de 10,000 anos; é também chamada de Idade da Prata.
A 'terceira era' Tetra-yuga, durou cerca de 864,000 anos, com uma media de vida de 1,000 anos; também conhecida como a Idade do Bronze (embora não corresponda á Idade do bronze na Índia).
Finalmente, Kali-yuga ou 'idade do vício' durou 432,000 anos e em que a esperança media de vida era de 100 anos ( no início da era, há 5100 anos atrás). Era chamada de Idade do ferro (e também não corresponde á idade do Ferro na Índia).
Interessante, muito interessante.
Até agora não encontrei nenhum obstáculo a considerar os "sete dias". Se acreditamos em Deus, seria normal, penso, acreditar que Ele seria infinito, de maneira que não me incomodou em nada alterar dias por milhões ou biliões de anos.
Continuando.
Vamos considerar agora a explicação que a ciência nos dá sobre a o nascimento do Sistema solar e do nosso planeta Terra, de forma a podermos comparar, então, com o texto do Génesis...

Veja em Barnes & Noble